Whatsapp
Notícia publicada em 04/02/2017 - 12:16:41

Ex-diretor da Ciretran e presídio é preso por estelionato em Ji-Paraná

Edgard Landgraf do Amaral, popularmente conhecido como "Edgarzão", de 73 anos foi preso, nesta sexta-feira (3), por estelionato em Ji-Paraná (RO), na região central do estado. Conforme a Polícia Civil, o suspeito é ex-diretor da Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) e do Presídio Agenor Martins de Carvalho e usou a influência dos antigos cargos na prática dos golpes.

 

 

Segundo a Delegada Titular da 2ª DP, Dra. Fabiana Braguin, a investigação durou cerca de 01 ano, e a equipe do SEVIC da 2ª DP apurou que o suspeito e o filho dele, identificado como Eduardo Henrique do Amaral, de 40 anos, entravam em sites de vendas ou grupos de vendas nas redes sociais e negociavam diversos produtos. Na hora de realizar o pagamento, os suspeitos depositavam envelopes vazios ou com cheques sem fundos.

 

"Eles entravam em contato com a vítima, marcavam um local de encontro e negociavam. Após estarem em posse do objeto, eles falavam que iriam pagar posteriormente. O pagamento não era feito no ato. E quando realizavam o pagamento era por meio do golpe do envelope vazio ou com cheques sem fundos de terceiros", conta Fabiana Braguim, delegada responsável pelo caso.

 

A dupla costumava aplicar os golpes contra vítimas que estavam em situação de vulnerabilidade. Segundo a delegada, o suspeito utilizava a influência dos ex-cargos públicos que ocupou para praticas os golpes.

 

Delegada Fabiana conta como crimes eram praticados (Foto: Marco Bernardi/ G1)

 

"Ele dizia que era ex isso, ex aquilo e que conhecia fulano e ciclano. Se fazia passar por uma pessoa que no passado gozava de muita influência. Mas não com todas as vítimas, com algumas ele nem precisava mencionar. Principalmente as pessoas em situações de vulnerabilidade, às vezes com um familiar doente", diz Fabiana.

 

Dois mandados de prisão foram expedidos em nome da dupla, o idoso foi preso durante esta quinta-feira e o filho continua foragido, mas deverá se entregar nos próximos dias.

 

"Eles se uniram dolosamente para obter lucro indevido, dando prejuízo a terceiros. A prisão deles foi deferida pelo juiz, nesta quinta foi preso o pai e o filho continua foragido, mas segundo o advogado, ele deverá se apresentar em breve", afirma a delegada.

 

Matéria:Com informações do G1 - www.comando190.com.br